Outrora incluída no termo de Sintra, a povoação de Igreja Nova foi fundada em 1255 e no século XVII tornou-se cabeça do Círio da Prata Grande ou da Senhora da Nazaré, o mais popular, concorrido e faustoso de toda a Estremadura.

 
 
  Ermida do Espírito Santo.

O povoado foi formado acidentalmente e tomou a designação do local onde pouco antes se levantara um templo de linhas góticas e renascentistas dedicado a Nossa Senhora da Conceição.

Trata-se da freguesia do Concelho de Mafra mais fértil em achados arqueológicos, de que é melhor exemplo o povoado do Lexim (ver história do concelho e passeios). Conserva ainda pequenas aldeias seculares que exemplificam o tipo de propriedades agrícolas característico da região, como é o caso do desabitado Casal do Rei, a caminho do Penedo do Lexim, assim como dois templos de inegável interesse histórico: a Igreja de Nossa Senhora da Conceição e a Ermida do Espírito Santo.

 
  Igreja de N. Sra. da Conceição.

A Igreja de Nossa Senhora da Conceição, cuja origem poderá remontar ao século XIII, sofreu um violento incêndio em 1984 que destruiu praticamente todo o seu interior. Apesar do restauro, mantém na entrada principal o antigo portal manuelino, arco de volta inteira com decoração de elementos vegetalistas e cachos de uvas, e ainda uma pia quinhentista de oito faces com inscrição gótica e duas de água benta, uma de gomos do século XVI e uma outra na galilé assente sobre uma ara romana. De acordo com as memórias paroquiais, a Ermida do Espírito Santo pertencia no século XVIII ao povo. Profanada, esteve durante várias décadas transformada em palheiro e arrecadação, servindo mais tarde de casa mortuária.